Benefícios e Indicações da Terapia Hiperbárica

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O ser humano é um dos seres vivos que sobrevive por causa do oxigênio presente no ar. Esse gás é tão fundamental para a sobrevivência de espécies vivas que chega, até mesmo, a ser usado como método terapêutico. É a chamada Terapia Hiperbárica. Não sabe o que é? Descubra, neste artigo, os benefícios e as indicações desse método.

A técnica é pouco conhecida no Brasil. Mesmo assim, ela passou a ser empregada em pacientes no século XX. Em 1995, o Conselho Federal de Medicina reconheceu a Oxigenoterapia Hiperbárica, também denominada pela sigla OHB, como um procedimento, de fato, consagrado no meio científico.

Mas em que consiste a oxigenoterapia hiperbárica?

Por meio de equipamentos onde é possível respirar oxigênio puro a uma pressão acima do nível do mar – as chamadas câmaras hiperbáricas –, os pacientes ficam em repouso de 90 minutos (câmara monoplace) a 2 horas (câmara multiplace). É ali, nessa câmara, que a pessoa atendida tem um aumento na quantidade de oxigênio que é transportada pelo sangue.

Como resultado, há uma melhor circulação do oxigênio pelo corpo fazendo com que ele atinja tecidos que estão com pouca irrigação. São os chamados tecidos pobres em oxigênio e que possuem mais probabilidade de sofrerem com infecções.

A estimativa é de que as sessões de Terapia Hiperbárica aumentem em até 20 vezes a quantidade de oxigênio que é transportada pelo sangue. A oferta desse oxigênio permite ao organismo reativar funções celulares, combater infecções e, até mesmo, auxiliar na cicatrização.

Quando o oxigênio do corpo é insuficiente e não atinge todas as células, o corpo não consegue trabalhar para que haja um funcionamento correto das células. Por isso, muitos pacientes têm dificuldade com a cicatrização de lesões, por exemplo.

Dentro da Câmara Hiperbárica, o paciente fica deitado e recebe o tratamento que precisa. A quantidade de sessões será determinada conforme o quadro apresentado pelo doente.

Para quais casos a terapia hiperbárica é indicada?

O tratamento por meio da terapia hiperbárica é indicado para pacientes que lidam com algumas das situações a seguir, como:

  • Infecções por fungos ou bactérias;
  • Lesões que não cicatrizam com facilidade;
  • Casos de amputações ou esmagamentos, para que não ocorra entupimento dos vasos sanguíneos;
  • Presença de bolhas de ar na corrente sanguínea;
  • Queimaduras;
  • Lesões actínicas;
  • Pé diabético.

Outros tipos de complicações para as quais o tratamento é indicado são gangrenas, úlceras crônicas lesões musculares e até anemia em que não é possível a transfusão sanguínea.

Quais os benefícios da terapia hiperbárica?

Diversos estudos demonstram que a Oxigenoterapia Hiperbárica apresenta resultados positivos quando associada a outros métodos de tratamento. No tratamento do pé diabético, por exemplo, o paciente continua fazendo o tratamento convencional e, ao mesmo tempo, participa da terapia hiperbárica.

O processo de cura das doenças é potencializado por meio da terapia, uma vez que as câmaras hiperbáricas atuam para que o oxigênio seja melhor aproveitado pelo organismo. Por isso, além de acelerar a cura de lesões e doenças, o método é empregado para neutralizar a ação de substâncias tóxicas no organismo.O procedimento é tolerado pela maioria dos pacientes. Em alguns casos, no entanto, se o paciente toma determinados tipos de medicamento ou apresenta algum problema de saúde, como gripes, resfriados, rinites e outros, a situação deve ser comunicada antecipadamente ao médico antes do início da terapia hiperbárica.

O ser humano é um dos seres vivos que sobrevive por causa do oxigênio presente no ar. Esse gás é tão fundamental para a sobrevivência de espécies vivas que chega, até mesmo, a ser usado como método terapêutico. É a chamada terapia hiperbárica. Não sabe o que é? Descobra, neste artigo, os benefícios e as indicações desse método.

A técnica é pouco conhecida no Brasil. Mesmo assim, ela passou a ser empregada em pacientes no século XX. Em 1995, o Conselho Federal de Medicina reconheceu a Oxigenoterapia Hiperbárica, também denominada pela sigla OHB, como um procedimento, de fato, consagrado no meio científico.

Mas em que consiste a oxigenoterapia hiperbárica?

Por meio de equipamentos onde é possível respirar oxigênio puro a uma pressão acima do nível do mar – as chamadas câmaras hiperbáricas –, os pacientes ficam em repouso de 90 a 120 minutos. É ali, nessa câmara, que a pessoa atendida tem um aumento na quantidade de oxigênio que é transportada pelo sangue.

Como resultado, há uma melhor circulação do oxigênio pelo corpo fazendo com que ele atinja tecidos que estão com pouca irrigação. São os chamados tecidos pobres em oxigênio e que possuem mais probabilidade de sofrerem com infecções.

A estimativa é de que as sessões de terapia hiperbárica aumentem em até 20 vezes a quantidade de oxigênio que é transportada pelo sangue. A oferta desse oxigênio permite ao organismo reativar funções celulares, combater infecções e, até mesmo, auxiliar na cicatrização.

Quando o oxigênio do corpo é insuficiente e não atinge todas as células, o corpo não consegue trabalhar para que haja um funcionamento correto das células. Por isso, muitos pacientes têm dificuldade com a cicatrização de lesões, por exemplo.

Dentro da câmara hiperbárica, que pode ser tanto individual quanto coletiva, o paciente fica deitado ou sentado e recebe o tratamento que precisa. A quantidade de sessões será determinada conforme o quadro apresentado pelo doente.

Para quais casos a Terapia Hiperbárica é indicada?

O tratamento por meio da terapia hiperbárica é indicado para pacientes que lidam com algumas das situações a seguir, como:

  • Infecções por fungos ou bactérias;
  • Lesões que não cicatrizam com facilidade;
  • Casos de amputações ou esmagamentos, para que não ocorra entupimento dos vasos sanguíneos;
  • Presença de bolhas de ar na corrente sanguínea;
  • Queimaduras;

Outros tipos de complicações para as quais o tratamento é indicado são pé diabético, gangrenas, úlceras crônicas e até anemia em que não é possível a transfusão sanguínea.

Quais os benefícios da Terapia Hiperbárica?

Diversos estudos demonstram que a Oxigenoterapia Hiperbárica apresenta resultados positivos quando associada a outros métodos de tratamento. No tratamento do pé diabético, por exemplo, o paciente continua fazendo o tratamento convencional e, ao mesmo tempo, participa da Terapia Hiperbárica.

O processo de cura das doenças é potencializado por meio da terapia, uma vez que as câmaras hiperbáricas atuam para que o oxigênio seja melhor aproveitado pelo organismo. Por isso, além de acelerar a cura de lesões e doenças, o método é empregado para neutralizar a ação de substâncias tóxicas no organismo.

O procedimento é tolerado pela maioria dos pacientes. Em alguns casos, no entanto, se o paciente toma determinados tipos de medicamento ou apresenta algum problema de saúde, como gripes, resfriados, rinites e outros, a situação deve ser comunicada antecipadamente ao médico antes do início da terapia hiperbárica.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin