fbpx

Câmara Hiperbárica para Cicatrização – Conheça os benefícios

Um tratamento capaz de acelerar a recuperação de células e tecidos danificados. Esse é o motivo que torna a câmara hiperbárica para cicatrização uma das opções mais procuradas entre pessoas que sofreram algum tipo de lesão, aguda ou crônica.

Também conhecida como oxigenoterapia hiperbárica, essa modalidade terapêutica é indicada para diversos problemas clínicos, entre os quais: acidentes de mergulho, intoxicações respiratórias por fumaça ou gases tóxicos, traumas, feridas que não cicatrizam, além de infecções bacterianas e fúngicas, especialmente em casos submetidos sem sucesso a outros tipos de tratamento.

Benefícios do tratamento com a câmara hiperbárica

Quando o tecido afetado não possui quantidade suficiente de oxigênio para garantir o funcionamento das células, o período de cicatrização da ferida pode se prolongar e o quadro da lesão evoluir para situações mais críticas, aumentando a complexidade do processo de recuperação.

O recurso da câmara hiperbárica é recomendado justamente por fornecer a oxigenação necessária para restaurar a capacidade de recomposição do tecido.

A intervenção da Câmara Hiperbárica para Cicatrização é realizada no interior de um compartimento estanque altamente resistente. O paciente inala oxigênio puro em uma pressão 2 ou 3 vezes maior que a pressão atmosférica.

Além de auxiliar na cicatrização, a aplicação terapêutica do oxigênio é indicada para compensar a deficiência de oxigênio. Isso acontece quando há entupimento dos vasos sanguíneos, e potencializar a ação de alguns antibióticos.

O tratamento em câmara hiperbárica é regulamentado no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995. Apesar de ser classificado como tratamento complementar a outros recursos terapêuticos, a oxigenação hiperbárica traz benefícios de primeira ordem ao paciente.

Por acelerar o processo de cicatrização da ferida, a submissão à oxigenoterapia pode refletir na economia de medicamentos. Além disso, impacta na diminuição do tempo de internação e em resultados estéticos mais satisfatórios.

Tanto em casos de lesões agudas (queimaduras, traumatismos de ossos ou partes moles, gangrenas, abscessos, Síndrome de Fournier, infecções e outras complicações pós-operatórias), quanto crônicas (pés diabéticos, úlceras crônicas de extremidades, osteomielites, lesões pós-radioterapia, Chron e outras inflamações intestinais), o tratamento com a câmara hiperbárica é coberto por grande parte dos planos de saúde.

Importante ressaltar que a aplicação de oxigênio hiperbárico tem total cobertura por todos os Planos de Saúde em pacientes conveniados. A Agência Nacional de Saúde (ANS) inseriu a modalidade terapêutica no rol de procedimentos mínimos obrigatórios, a partir de 2011.

Como funciona e qual a duração do tratamento?

O paciente é colocado dentro da câmara hiperbárica, construída geralmente em formato cilíndrico com materiais resistentes às altas pressões. No caso da câmara monoplace, com capacidade para apenas uma pessoa, o oxigênio é inalado diretamente do ambiente da câmara, onde o paciente permanece deitado sem o uso de máscaras.

A depender do paciente, idade, gravidade da lesão e fase do tratamento, o número de sessões pode variar de 15 a 40. A duração é de 90 minutos em câmaras Monoplace e 2 horas em câmaras Multiplace, dependendo do caso.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Close Menu