Câmara Hiperbárica: Quantas Sessões são necessárias?

A câmara hiperbárica é um equipamento cilíndrico, fechado, formado de aço ou acrílico e resistente à pressão. Contudo, nela é possível insuflar oxigênio puro (O2 100%) para alcançar uma pressão acima das condições ambientais normais.

Contudo, esse equipamento é capaz de aumentar, consideravelmente, a quantidade de oxigênio transportado pelo sangue. Se as sessões forem realizadas regulamente, o tratamento gera uma série de efeitos terapêuticos e benéficos ao corpo.

Entenda como funciona a oxigenoterapia hiperbárica

Na oxigenoterapia hiperbárica, ou seja, realizada na câmara hiperbárica, o paciente fica deitado e respira normalmente, enquanto o oxigênio se dissipa pelo seu corpo. O gás circula em uma condição 2,5 vezes maior que a pressão ao nível do mar.

As regiões do corpo mal oxigenadas, são as mais favorecidas com esse tratamento, pois ele age através da dissolução do O2 no plasma. Consequentemente, a pressão interfere na oxigenação do tecido lesado e altera a sua estrutura bioquímica.

Indicações da Câmara Hiperbárica

O uso da câmara hiperbárica e quantas sessões são necessárias dependem da condição clínica do paciente. Entretanto, comprovada a sua eficácia, sabe-se que esse tratamento funciona como um agente farmacológico.

As principais indicações para o seu uso são:

  1. Embolia gasosa;
  2. Gangrenas e necroses;
  3. Síndrome de Fournier;
  4. Celulites, fasceítes e miosites;
  5. Lesões por radiação denominadas lesões actínicas;
  6. Queimaduras térmicas ou elétricas;
  7. Úlceras de pele;
  8. Pés diabéticos;
  9. Úlceras por vasculites autoimunes;
  10. Osteomielite e outras.

Benefícios

Quando um indivíduo respira o oxigênio puro e pressurizado, há um aumento da taxa desse gás nos tecidos, através da corrente sanguínea. O principal benefício é que o oxigênio chega ao tecido lesado pelo sangue e não de forma direta.

A oxigenoterapia hiperbárica ainda ajuda no processo de cicatrização de feridas e acelera a recuperação de pacientes. Por esse motivo, ela também auxilia em cirurgias (redução da área lesada) e complementa o tratamento com antibióticos.

Para o tratamento com câmara hiperbárica, quantas sessões são necessárias?

A duração do tratamento com oxigenoterapia hiperbárica é definida de acordo com a condição do paciente. De modo geral, o número total de sessões varia de 15 a 40 e, por regra, ocorrem de cinco a seis vezes por semana.

Além de tudo, em casos mais graves, o tratamento deve ser feito em um curto período de tempo. Em alguns casos são realizadas mais de uma sessão ao dia, de modo ininterrupto, isto é, sete vezes por semana.

O protocolo-padrão para o oxigenoterapia hiperbárica indica que a duração de uma sessão seja de 90 minutos em câmaras Monoplace e 2 horas em câmaras Multiplace, dependendo do caso.

Esse tempo também varia em função do tipo de lesão e da fase do tratamento.

Os Planos de Saúde pagam?

Contudo, é importante ressaltar que a aplicação de oxigênio hiperbárico tem total cobertura por todos os Planos de Saúde em pacientes conveniados, uma vez que a Agência Nacional de Saúde (ANS) inseriu a modalidade terapêutica no rol de procedimentos mínimos obrigatórios, desde de 2011.

Contraindicações do tratamento com câmera hiperbárica

Em conclusão, para realização da oxigenoterapia hiperbárica existem algumas contraindicações). Os principais casos são:

  1. Pacientes com pneumotórax (presença de ar na pleura);
  2. Pacientes com resfriados, sinusites e asma brônquica;
  3. Histórico de cirurgia torácica ou do aparelho auditivo;
  4. Pacientes com lesões pulmonares identificadas em exames de imagem.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin