O que é Gangrena Gasosa e como tratá-la?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Os primeiros sintomas são dor, inchaço, vermelhidão seguidos de febre e a presença de crepitação subcutânea (presença de bolhas no tecido subcutâneo em detrimento ao metabolismo bacteriano na área lesa). São sinais e sintomas comuns que podem também estar acompanhados de aumento na frequência cardíaca e dificuldade respiratória, assim como náusea e vômito e confusão mental.

Trata-se de uma doença de evolução muitas vezes silenciosa, pois mesmo infectado, o paciente pode levar alguns dias para apresentar sintomas. Existem casos em que os sintomas surgem horas após a infecção, facilitando o tratamento e tornando as complicações teciduais e sistêmicas menos degradantes ao paciente, o que não quer dizer que a gravidade é menor.

A bactéria que provoca a gangrena gasosa gera um gás como resíduo metabólico. Esse gás é o responsável pelas bolhas, fator patognomônico (característico) da doença. Como a infecção pode fechar os vasos sanguíneos menores, o tecido que está doente apresenta maior propensão a gerar necrose.

A morte do tecido é perigosa, porque possibilita a reprodução ainda mais rápida da doença.

Em casos mais graves, a infecção pode atingir a corrente sanguínea e em detrimento de um quadro séptico evoluir para um choque séptico, o que provoca vários sintomas dentre eles a queda brusca da pressão arterial, podendo levar a pessoa a uma parada cardíaca. Nesse caso, pode ocorrer uma sobrecarga renal, em casos extremos, pode levar à morte.

Gangrena gasosa tem cura ou tratamento?

O diagnóstico, como explicamos, é feito por meio de exames laboratoriais e imagens, mas pode ser necessária uma cirurgia para biópsia.

Quando a doença é, de fato, confirmada, o tratamento com antibióticos deve começar imediatamente. Além disso, nos casos mais avançados, o paciente precisará passar por uma operação para retirada de todo o tecido necrosado e infectado.

Há casos em que a cirurgia não é capaz de remover completamente todo o tecido necessário, e a pessoa infectada pode sofrer ainda uma amputação do membro.

Pensando nestes casos onde o agravo pela infecção é real e a abordagem deve ser rápida e assertiva, existe a possibilidade terapêutica com a Câmara Hiperbárica: Equipamento em formato cilíndrico, permitindo ser hermeticamente fechada, composta por aço e\ou acrílico e resistente à pressão, promovendo a injeção de oxigênio puro para atingir pressões acima das condições atmosféricas normais (entre 2 a 3 atmosferas absolutas), o que possibilita o aumento da quantidade de oxigênio transportado pelo sangue.

Quais são os benefícios da oxigenoterapia hiperbárica?

A oxigenoterapia hiperbárica, proporciona uma série de benefícios para as pessoas que apresentam infecção como a gangrena gasosa. O paciente fica deitado e respira oxigênio 100% puro normalmente, enquanto é submetido a uma pressão superior ao nível do mar habitualmente entre 2 e 3 ata, aumentando a disponibilidade do oxigênio dissolvido no plasma sanguíneo, alcançando de maneira mais efetiva as regiões do corpo menos oxigenadas e interferindo positivamente no suprimento do oxigênio e no metabolismo de tecidos infectados como no caso da gangrena gasosa, entre outros.

Dessa forma, inspirar oxigênio puro pressurizado aumenta sua biodisponibilidade nos tecidos, auxiliando no processo de cicatrização da pele, partes moles e tecido ósseo. Por este motivo, a oxigenoterapia hiperbárica é uma excelente opção terapêutica para pacientes que apresentem quadro de gangrena gasosa, sempre sendo conjugada com antibióticos e procedimentos cirúrgicos quando necessário.

Quer saber mais sobre tratamentos com uso de tecnologia avançada? Acesse nosso site.

Vale frisar que, sem o tratamento, a evolução da doença é extremamente rápida e pode ser fatal.

Para prevenir o surgimento dessa infecção, durante e após cirurgias, é comum que médicos limpem a região ferida, removam os tecidos atingidos ou mortos e deem antibióticos aos pacientes, e claro, quando pertinente, realizar sessões de oxigenoterapia hiperbárica. Veja outras indicações para o uso da câmara hiperbárica.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin